A gravidade atrai os corpos
Sábado, 21 de Maio de 2005
Perigos
Este é um exercício perigoso.
É um salto no excesso da revelação.
Colocam-se os véus, tapam-se os sinais, criam-se pistas falsas.

Mas por trás de cada ocultação vai a água com os resíduos da lavagem.
Por trás de cada gesto interrompido vagueia o timbre inequívoco da voz.

Salva-nos apenas a questão da verdade.
Porque em todos os lados temos os lados todos e os lados todos são todos lados possíveis.

Ficamos assim à mercê da intuição.
Dizemos a nós próprios que o que cada um sente é só dele.
Repetimos até nos cansarmos que cada novo percurso é ainda o mesmo mas já é outro.
E fazemos isto infinitas vezes, até já não sentirmos nada.

Gosto desta verdade que não se deixa apanhar.
Suponho-me suficientemente orgulhoso para poder viver sem certezas.
Dou os meus voos, faço os meus mortais à retaguarda, equilibro-me no alto da minha vulnerabilidade.
Mas faço-o com razão.
Nunca deixo fugir a mão do destino modelado.

É por isso que este é um exercício perigoso.
Há momentos em que não sei onde estou e me parece que as palavras levam com elas mais acasos do que seria verosímil.

Só aqui estou por ter prometido deixar de jogar à defesa...

amm


publicado por prólogo às 22:26
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De Anónimo a 22 de Maio de 2005 às 01:55
Estou muda!Vim aqui para singelamente retribuir a visita que fizeste ao meu "universo" e saio daqui na certeza de que virei espreitar muitas mais vezes este teu cantinho. Que lindas e profundas palavras... se bem que... não acredito em destinos modelados... acredito que modelamos com cada passo e cada acção aquele que vai sendo o nosso destino. :-) Como a tua visita que me trouxe em resposta a descobrir este teu "mundo"...
Contínua o teu exercício... não lhe chamo "perigoso" chamo-lhe "Vida"
Tudo de bom
RakielRakiel
(http://rakieldo.blogs.sapo.pt/)
(mailto:rakieldo@netcabo.pt)


De Anónimo a 22 de Maio de 2005 às 00:56
Não tenhamos veleidade de modelar o destino nem de que a defesa nos acautele porque a surpresa da realidade nos ataca de forma indefensável colocando-nos despidos de armaduras perante o inaceitável. bastet
(http://bastetbastet.blogspot.com)
(mailto:bastetbastet@sapo.pt)


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Forma

Rasto

Eco

Conto

Adiamento

Vácuo

Longe

Surpresas

Ácido

Cansaço

arquivos

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds