A gravidade atrai os corpos
Quinta-feira, 22 de Setembro de 2005
Oculto
Aprendi que não quero saber mais coisas.
Decisão difícil esta de passar a conviver apenas com o conhecido.
Só porque aprendi que neste horizonte limitado está tudo o que preciso saber.

( Há palavras que são projectos de poder.
Dizer horizonte limitado é uma ofensa aniquiladora.
Quantas palavras haverá, assim destrutivas na sua inocência, capazes de impedir um raciocínio sistematicamente livre? )

Agora sei que nada mais quero aprender.
Basta-me jogar com o que sei e, quem sabe, inventar o que não sei.

Porque garanto que já sei que aquilo que não sei é milhares de vezes aquilo que poderia saber.

Agora hei-de inventar coisas que mais ninguém sabe e mantê-las ocultas daqueles que querem saber tudo.
Na ignorância estará então uma parcela oculta da liberdade e do seu sentido.

amm


publicado por prólogo às 20:22
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Forma

Rasto

Eco

Conto

Adiamento

Vácuo

Longe

Surpresas

Ácido

Cansaço

arquivos

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds