A gravidade atrai os corpos
Sexta-feira, 8 de Abril de 2005
Ocultação
Não há maneira melhor de esconder as coisas do que colocá-las bem à vista.
Este é o processo brilhante que se inventou de tudo dar a conhecer.
Agora ninguém mais dirá que não sabia.
Agora já não se usará mais desconhecer.
Sabe-se tudo. Tudo está dito. Nada fica na sombra.

É sob esta invenção da luz, sob este holofote da evidência que passo a esconder os meus sentidos.
Nada ficará por dizer. Nada ficará sob o manto disforme da ocultação.

E à vista de todos, à vista de todo o universo, terei a segurança de ninguém saber alguma coisa.
É como se agora que já nada resta senão a contínua revelação pudesse finalmente estar só.
É como se debaixo de toda a infernal emissão de clareza e limpidez pudesse mostrar uma terrível transparência.

Aqui estamos, nus e despojados.
Como o rei, como a verdade, como o rio.
Haverá outros dias em que já não será assim.


publicado por prólogo às 23:12
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Forma

Rasto

Eco

Conto

Adiamento

Vácuo

Longe

Surpresas

Ácido

Cansaço

arquivos

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds