A gravidade atrai os corpos
Segunda-feira, 25 de Abril de 2005
Sagrado
Talvez não seja justo chamar-Me Deus.
Apenas, talvez, por uma questão de pormenor.
Nada de grave. Nada de importante. Portanto.
Mas a justiça, como se sabe, é descontínua. É discreta.

Por uma questão de justiça passarei então a não Me chamar Deus.
Ou por uma questão de pormenor.
Também isso é um pormenor.
O que é importante é esta importância que neste momento rejeito.

Hoje, ao sentir-me vagamente perdido, procurei nos livros uma solução para o problema de me sentir vagamente perdido quando procuro nos livros uma solução.
Foi desagradável perceber que estava à procura de uma coisa que muito provavelmente não existia.

Entre as várias soluções de recurso, que se têm sempre como segunda oportunidade para quando as primeiras não funcionam, estava o regresso ao princípio.
Senti-Me tentado. E depois percebi que não era livre para Me sentir tentado.
Algo na minha tautologia divina não funcionava.

Pormenores. Coisas pequenas que vão encravando a realidade.
Foi por eles que mudei de nome. Agora já não sou.

amm


publicado por prólogo às 22:47
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Forma

Rasto

Eco

Conto

Adiamento

Vácuo

Longe

Surpresas

Ácido

Cansaço

arquivos

Março 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds